O Atendimento de Animais Silvestres Ilegais

Nas duas últimas décadas a medicina de animais silvestres evoluiu muito, em quantidade como em qualidade de atendimentos. Não é mais raridade termos como pacientes animais como coelhos, pequenos roedores, passarinhos, papagaios, araras, jabutis, cagados, lagartos, dentre tantos outros. Todos esses animais que vivem dentro da casa de seus tutores, ilegais ou não, devem ser consultados por um médico veterinário especializado.

Quanto ao atendimento veterinário dos animais silvestres, conforme disposto no artigo 5º da Lei 5.517/1968, do Conselho Federal de Medicina Veterinária publicado, no Diário Oficial da União, a Resolução 829, de 25 de abril de 2006 resolve no Art. 1º Os animais silvestres/selvagens devem receber assistência médica veterinária independentemente de sua origem.

Portanto, todos os animais de origem legal ou não tem direito ao atendimento do médico veterinário, sem que esse tenha a obrigação de denunciar a posse ilegal de animais selvagens / silvestres.

Mas a realidade que ainda encontramos é o fato de muitos tutores que possuem animais ilegais terem receio de levar seu pet ao veterinário com medo de ser denunciado, resultando muitas das vezes na morte dos animais por falta de atendimento.

Ao médico veterinário cabe, além do atendimento, orientar os tutores que ao adquirir um animal ilegal, estarão sujeitos a punições previstas em lei. Além de estar fomentando o trafico de animais que contribui e muito para o risco de extinção de varias espécies.

Devemos ter consciência que a maneira adequada de adquirir um animal silvestre é por meio de criatórios regularizados e registrados pelos IBAMA, pois assim temos a garantia de que eles recebam todos os cuidados veterinários, a identificação da espécie e da sexagem e que se for necessário a comercialização, que seja realizado com nota fiscal.